TDAH em meninas

TDAH em meninas – Sim, existe.

Colaboradora: Cristina Santos

Falamos tanto em TDAH e em como os meninos são mais propensos, que muita gente acha que meninas não possuem, o que é uma inverdade imensa.

De certo modo, várias neurodiversidades são vistas antes em meninos do que em meninas, justamente porque elas costumam ter um comportamento mais quieto, e raramente apresentam os sinais de hiperatividade classicamente associados ao TDAH.

Se você é mãe ou pai de uma menina e está em dúvida, este artigo pode ajudar um pouco, há um questionário lá no final que pode te ajudar, mas leia tudo com calma, e nunca deixe de procurar um médico. Tratamentos realmente funcionam para TDAH, e quem faz, relata mudanças imensas no comportamento e na produtividade.

TDAH em meninas: É quase sempre mais silencioso, pouco diagnosticado, mas existe sim.

TDAH em meninas

A maioria dos médicos que trata TDAH, tem uma visão estereotipada de que para ter o diagnóstico você deve preencher os requisitos comuns, como hiperatividade, impulsividade e tudo o mais que é bem comum nos meninos, e já foi falado neste texto aqui.

A questão é, assim como em cada indivíduo a intensidade dos sintomas do TDAH em meninas pode ser diferente, uma vez que as mulheres têm um mecanismo de ‘cópia’ muito peculiar, e tendem a ter uma criação que prioriza o bom comportamento nato.

Pense por um momento: quem você acha que vai ter tendências a se aventurar por uma caçada no jardim? Quem vai querer sair correndo pelo supermercado? Quem vai brincar de luta e ter dificuldade em ficar parado por muito tempo?

Entre um menino ou uma menina, as chances de que seja o menino, são muito maiores.

Até bem pouco tempo atrás, os filmes infantis perpetuavam a ideia de que os meninos deveriam crescer e salvar as meninas que seriam as princesinhas na torre, não é mesmo? Assim, logicamente, uma princesa deveria se comportar como tal.

TDAH em meninas

TDAH em meninas: Um quiz para meninas – e mulheres – com suspeita de TDAH

A seguir colocamos um questionário simples, se você perceber que tem muito mais ‘sim’ do que ‘não’ nas suas respostas, talvez seja o momento de procurar ajuda.

Um diagnóstico de TDAH em meninas só pode ser feito por um profissional especializado!

Como a depressão, ansiedade e outros transtornos podem ser associados facilmente às mulheres, não raro o médico só identifica as comorbidades e deixa o TDAH de lado.

Este questionário pode te ajudar também a elucidar o médico quando for a consulta, e sempre, sempre procure um profissional que reconhecidamente trabalha com casos de TDAH em meninas para a idade da sua filha, ou para a sua mesmo, porque isto vai te ajudar a receber o tratamento correto. A desinformação, mesmo no meio médico, é real, e serve de barreira para o diagnóstico.

Quiz!

  1. É muito difícil conseguir cumprir as tarefas de casa e as datas de entrega.
  2. É sempre muito complicado conseguir chegar na hora certa.
  3. Não consegue adormecer rapidamente, sente que os pensamentos não desligam.
  4. Levantar pela manhã é muito complicado.
  5. Nas conversas, muda de assunto, às vezes, sem conexão aparente, não consegue voltar ou se lembrar do que estava falando.
  6. Costuma interromper outras pessoas falando, mesmo sem querer.
  7. Sente que os pensamentos voam, é difícil prestar atenção na aula, isto inclui conversas entre amigos.
  8. Pode ter dificuldade em lembrar o que lê.
  9. Deixa tudo para a última hora, seja na escola, no trabalho ou em casa.
  10. Os espaços próprios – quarto, armários, guarda-roupa – tendem a ser desorganizados.
  11. Costuma ser chamada de avoada, dizem que vive com a cabeça nas nuvens.
  12. Pode ser considerada muito elétrica, muito falante, como se fosse ligada na tomada.
  13. Sempre se esquece de fazer as coisas, mesmo quando é lembrada.
  14. Perde itens pessoais com frequência, e não consegue lembrar onde guarda as coisas.
  15. Escuta frequentemente que precisa se esforçar mais.
  16. Se distrai por qualquer coisa, mesmo as mais comuns.
  17. Se sente ansiosa ou preocupada o tempo todo.
  18. Costuma ser muito temperamental, e fica facilmente deprimida, não lida bem com frustrações.
  19. Tem a impressão de que é diferente das outras meninas.
  20. Nas mulheres e adolescentes, a TPM tende a demonstrar oscilações de humor mais intensas.
  21. É muito impaciente e não gosta de esperar.
  22. Tem a sensação de esgotamento mental com muita frequência depois de uma atividade mais intensa.
  23. Demora mais para conseguir terminar as tarefas.
  24. Mesmo quando estuda muito, não consegue lembrar das coisas quando está fazendo um exame.
  25. Parece ter boas notas apenas nas matérias que gosta muito, ou consegue trabalhar – terminar uma tarefa – apenas no que realmente gosta.

TDAH em meninas

Resultados:

Das 25 questões acima, se você respondeu ‘sim’ para mais que cinco, já é hora de procurar um especialista.

Tenha em mente que para se diagnosticar TDAH em meninas (ou meninos), isto tem que atrapalhar a vida social e familiar.

Todo mundo pode ficar mais nervoso em uma prova e esquecer o que estudou. Mas se há uma dificuldade frequente, aí sim, é um sinal de alerta, e vale ser identificado.

TDAH em meninas – Por fim…

Estes são os mais comuns, homens e mulheres adultos apresentam sintomas diferentes, com o tempo, aprendemos a lidar melhor com nossas dificuldades e desenvolvemos alternativas que suprem alguns dos ‘defeitos’ TDAHs mais comuns.

Mas, se você se viu identificada ou percebeu que as frases acima descrevem o comportamento do TDAH em menina, busque ajuda. Pode ser que a medicação resolva, e pode ser também, que com a terapia e o estimulo correto, os sintomas diminuam, antes que seja tarde.

TDAH em meninas
O quanto antes tratar, melhor.

O estigma que acompanha uma mulher adulta com TDAH é sempre o de ser ‘desleixada’ e desorganizada, o que contribui muito para a depressão. Ou seja, o quanto antes tratar, melhor.

 

E você? Quais suas dúvidas? Este post te ajudou? Conta pra gente nos comentários! 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here